terça-feira, julho 08, 2008

Compassionate society


Para quem de vez em quando se lembra de ter dúvidas sobre a existência de diferenças entre esquerda e direita, eis um friendly reminder:


2 comentários:

Pedro Sá disse...

Discordo completamente. Porque ele tem toda a razão.

A não ser que consideres que ser de esquerda é defender a completa irresponsabilidade das pessoas, cujas situações e condições são sempre da responsabilidade de terceiros.

Ora, isso é absolutamente inaceitável.

Miguel Lopes disse...

Pedro Sá, é favor ler com atenção:

"David Cameron declared yesterday that some people who are poor, fat or addicted to alcohol or drugs have only themselves to blame."

Isto é a negação de que as condições de vida de todas as pessoas se enformam quer por factores que elas controlam (na minha opinião são uma pequena parte) quer por factores que elas não controlam (na minha opinião, a maioria).

"A não ser que consideres que ser de esquerda é defender a completa irresponsabilidade das pessoas, cujas situações e condições são sempre da responsabilidade de terceiros."

Não é desresponsabilizar as pessoas. É imputar aos diferentes factores, quer os que controlamos, quer os que não controlamos, a significância nas condições de vida das pessoas. Procurar mitigar ao máximo, dentro do possível e eticamente desejável, os factores que não controlamos nas disparidades sociais é promover a justiça social.
A simplificação do paradigma que conclui que as disparidades resultam somente do mérito, ou mesmo que há algumas pessoas que só estão abrangidas pelo mérito, é o pensamento veleitário que se abre nesta vaga de novo-riquismo solipsista. Qualquer coisa do estilo: "Eu tenho um mercedes e vivo na Lapa por minha exclusiva responsabilidade. O mesmo acontece com o pedinte com que hoje me cruzei"...pode subscrever.