quarta-feira, julho 25, 2007

A good day


Uma cidadã austríaca, comissária europeia, apoiada pela iniciativa de um cidadão francês, presidente da República, por dois cidadãos português, um ministro dos Negócios Estrangeiros e o outro presidente da Comissão Europeia, foram alguns dos artífices do repatriamento de cinco cidadãs búlgaras e de um novo cidadão búlgaro de origem palestiniana, cuja familía reside na Holanda. Todos eles têm em comum uma cidadania europeia. Não, não é um caso prático de Direito Internacional Privado. É a União Europeia no seus dias bons a recordar-nos de que vale a pena e de que é o projecto de integração política mais bem sucedido da história contemporânea.

4 comentários:

Anónimo disse...

Emociona ver todos estes cidadãos de diferentes países unidos por uma boa causa! Gostei muito de ler este post!
BB

SAM disse...

A União Europeia assume-se como o pivot da mundialização. Mas, continuo com as minhas dúvidas em relação aos Direitos Humanos e ao seu papel sobre outros países não-europeus.

O primeiro passo está a ser dado, e o teor deste texto é apenas um dos muitos exemplos.

O Raio disse...

Sujeitar-se às prepotências de Kadhafi, chamar-lhe humanista, pagar-lhe uma data de dinheiro e no fim considerar-se isto como uma vitória é pura e simplesmente repelente.
Tratou-se de um caso de direito comum, rapto com exigência de resgate e como tal devia ser tratado.
Nisto tudo salva-se Karel de Gucht, Ministro belga dos negócios estrangeiros que declarou "Não podemos agora recompensar a Líbia pela libertação de pessoas que foram presas em condições horriveis durante oito anos. A normalização deverá ser um longo processo, ao longo do qual a Líbia tem primeiro de preencher uma série de critérios nomeadamente em matéria de direitos humanos" (ver http://blogs.publico.pt/eurotalk/).

"É a União Europeia no seus dias bons a recordar-nos de que vale a pena e de que é o projecto de integração política mais bem sucedido da história contemporânea."

??? A União Europeia está a revelar-se um perfeito desastre com uns países (os maiores) a engulirem os outros (os menores), nós por exemplo.

Numa economia Mundial que cresce a uns bons 5% ao ano quase todos os países da UE estão muito abaixo desta taxa. Considerar-se isto um sucesso só para quem não quer ver!

SAM disse...

Em compensação, outras têm sido as vitórias da União. A situação de paz é-nos superficial, porque muitos de nós só conhecemos essa realidade.

Mas, verdade seja dita, a Europa não teve paz antes do estabelecimento da UE. E a situação do Kosovo e do Chipre, por pior que sejam, não são comparáveis ao que tínhamos há meia dezena de anos...

A economia é, de fato, um problema. E a estabilidade, sem dúvidas, uma vitória!